Archive for outubro \30\UTC 2015

No amor nada é extato

Nosso maior engano é imaginar que as pessoas que mais amamos jamais nos farão sofrer.

Eventualmente, acontece. E, se não esperarmos o melhor delas, qual sentido de insistirmos nesse amor?

Se não aprendemos a perdoar os erros de quem amamos, como poderemos esperar perdão para nossos erros?

Uma história de amor pode sair ainda mais fortalecida quando percebemos que o sofrimento não é em vão.

E a mágoa não dói apenas para quem sente. Dói também em quem provoca. E os dois aprendem com isso.

Outro grande erro é pensar que quando nos envolvemos tudo tem a obrigação de ser perfeito o tempo todo.

Não é bem assim. Só o tempo nos mostrará que alguém pode ser muito especial, apesar de todos os seus defeitos.

Pode ter a grande virtude de aceitar e até se apaixonar pelas nossas imperfeições.

Sempre é possível e necessário ceder. Exigimos demais, reduzimos muito as possibilidades de sermos felizes no amor.

Harmonizando defeitos e qualidades, seremos capazes de construir uma linda história. Tão perfeita que não terá fim.

Talvez o nosso maior defeito seja essa tentativa de comparar os sentimentos. Como se o amor pudesse ser medido. Como se fosse possível usar os nossos pesos e as medidas alheias para chegarmos a um resultado exato.

Nada é exato no amor. Tudo aquilo que sobra é o que faz mal a relação, como o ciúme, a possessividade, a insegurança…

O que falta é confiança, a certeza de que queremos sempre o melhor para a nossa vida e que devemos buscar sempre a felicidade.

Não se engane. É possível que alguém tenha todos os defeitos. É provável que já tenha causado o nosso sofrimento muitas vezes. Mas é o amor que faz com que permaneçamos juntos.

Anúncios

Bobagens Sentimentais

Aqueles que não são muito românticos pensam que as canções de amor não são nada mais do que isso. Mas há aqueles que acreditam que elas são como segredos revelados em poesias.

Quando ouvem a palavra saudade numa canção, se ainda não sentem, são capazes de inventá-las. Se a canção fala sobre as dores do amor, esta se unem ao sofrimento de quem canta.

Eu estou entre essas pessoas para quem as canções de amor na verdade dizem tudo. Dizem exatamente o que eu sinto e muitas vezes não sei como expressar.

Elas me fazem sonhar com os amores que nunca vivi, mas acredito que devem existir.

Quem escreve as canções de amor não necessariamente viveu todas aquelas experiências.

Quem escreve as canções de amor poderia não ter sobrevivido a todas as histórias que conta.

Quem escreve as canções de amor são pessoas como eu e você, que precisa sentir e compartilhar o amor.

Talvez seja preciso acreditar nessas canções para podermos viver um grande amor. Se elas são apenas imaginação de alguém, não custa nada imaginarmos também.

As pessoas que não acreditam têm todo o direito de achar que são grandes bobagens sentimentais.

Pelo menos até alguém despertar nelas um sentimento muito parecido com a mais tola canção de amor.

Nesse momento, perceberão que não é tolice. E se surpreenderão cantando. E começarão a sonhar…